Arquivo | Por Amanda Bueno RSS feed for this section

Pepsico: liderança baseada em valores

23 ago

“O líder deve criar espaços de sentido, ética, realização e excelência, de forma a construir caminhos que abram espaço para o novo” cita a matéria Liderança Baseada em Valores da Revista Interna JUNTOS da Pepsico.

A Pepsico busca muito mais do que pessoas com boas técnicas de gerência, mas líderes, no sentido mais real da palavra. A organização acredita que a liderança é muito mais do que atributos individuais, mas um caminho construído coletivamente que abre espaços para novas possibilidades.

Ela pode ser criada pela excelência de governança ou pela qualidade do pacto ético e gera vínculos baseados em forte percepção de justiça, sentido, entusiasmo e motivação para o trabalho.

Hoje em dia, a necessidade de trabalhar não é mais tão importante quando antigamente, por isso o engajamento de pessoas é crucial para o sucesso da organização e para criação de valor para todas as pessoas.

“O líder que age baseado em valores é aquele que enxerga outras possibilidades e cria espaços de sentido, ética, realização e excelência onde a maioria das pessoas só enxergam espaços para pressão por resultados e redução de custos” diz Marco Tulio Zanini, especialista em Gestão Estratégica de Pessoas e Gestão de Ativos Intangíveis e diretor da Symballein.

Mais importante do que basear-se em valores é estar alinhado aos valores e princípios da organização, sempre, para que os objetivos macro sejam alcançados mais facilmente.

 

Por Amanda Bueno.

Lidando com o líder!

4 ago

Estava eu passeando pelos sites da internet, buscando inspiração para um novo assunto sobre liderança quando me deparei com um post num blog (http://casesdesucesso.wordpress.com) com o seguinte título “Como se relacionar com seus líderes”. Achei muito curioso, pois até agora só vimos assuntos como os tipos de líderes, como eles devem tratar de assuntos do dia a dia, suas características e etc, mas nada que tratasse do contrário.

Embora os líderes sejam pessoas muito importantes na organização, eles não são a maioria. Então, como todos os outros colaboradores devem líder com o (s) líder (es)?

É comum que líderes e, também, gestores sejam tratados com críticas e comentários negativos, pois dentre as decisões que esses devem tomar, há aquelas com tom negativo, que não são bem recebidas pelos colaboradores. Antes de qualquer coisa, devemos conhecer a personalidade do líder, pois somos diferentes uns dos outros e, nos conhecendo, sabemos qual a melhor forma de nos relacionar no trabalho, gerando uma melhor convivência, contrária ao tabu que gira em torno do “chefe”.

Em todo ambiente de trabalho há regras que devem ser seguidas, e com os líderes não é diferente. São regras básicas para um bom relacionamento e, assim, há mais chances de desenvolvimento para a organização. São eles:

RESPEITO: deve haver em todo e qualquer tipo de relação, seja profissional ou pessoal, mas com os líderes devemos ter uma atenção especial, pois além de pessoas como todos os colaboradores, eles estão em um nível mais alto de hierarquia.

DEFEITOS x QUALIDADE: todos têm defeitos, e os líderes também. Devemos focar a atenção nas qualidades que o tornaram líderes para que os defeitos não sobressaiam no “julgamento” feito pelos colaboradores.

ASSUNTOS PESSOAIS x PROFISSIONAIS: saiba diferenciar os temas de dialogo na organização. Assuntos pessoas nem sempre são pertinentes ao ambiente de trabalho.

AMIZADE: se houver amizade entre o colaborador e o líder, é importante que esses saibam se colocar no ambiente corporativo. Fora da empresa, todos são iguais; dentro, o líder é superior.

DECISÕES INDESEJADAS: quando um líder toma uma decisão que não é bem recebida pelos colaboradores, tente entender o porquê daquela decisão e pense no que você faria se estivesse em seu lugar. Assim, evita-se discussões e desabafos desnecessários que possam transformar uma boa relação em um dialogo pesado e negativo.

BAJULAÇÃO: não adianta “bajular” o líder. A melhor coisa que o colaborador tem a fazer é respeitá-lo e cumprir os deveres estabelecidos.

APRESENTE IDEIAS: se você acha que algo melhor pode ser feito, apresente a ideia para seu líder. Assim como você deve respeitá-lo, o líder também o respeita e está aberto a ideias.

Deve-se ressaltar o RESPEITO, sempre! Assim qualquer relacionamento fica melhor.

Por Amanda Bueno.

Estilos de Comunicação

20 jun

As pessoas se comunicam a todo tempo e de formas distintas. Elas se diferem na maneira de comunicar, no modo que se vêem e que são vistas.

Podemos dividir a comunicação em três estilos diferentes: agressiva, passiva e assertiva.

A comunicação agressiva existe quando o comunicador se sente superior aos outros, não ouve os demais por achar que ninguém tem nada interessante a contribuir e acha que suas idéias são sempre as melhores. Ele possui atitudes agressivas, levando à falta de integração com seus “subordinados”. Esse tipo de comunicação tende a ter mais sucesso em situações de crise, pois necessita maior imposição por parte do líder.

Já comunicação passiva acontece quando o comunicador se sente inferior aos outros e tenta evitar quaisquer tipos de conflito, concordando, às vezes, com diferentes partes numa discussão. Geralmente, possuem baixa autoestima e tendem a reclamar mais do que encontrar soluções. Esse tipo de comunicador pode ser muito eficaz como seguidor.

Como o próprio nome diz, a comunicação assertiva pode ser considerada a mais eficaz. Trata-se de saber dosar. Ouvir e ser ouvido. Respeitar e ser respeitado. É o comunicador decidido e confiante que negocia de forma realista buscando sempre, de forma honesta, a melhor alternativa para solucionar as questões do dia a dia.

Em qual dos estilos de comunicação encontramos líderes?

Como dissemos em diversos posts anteriores, o bom líder é aquele carismático, que não é apenas gestor, mas líder de opinião, de fato. Ele possui seguidores, suas ações impactam o público interno e , principalmente, sabe ouvir e aproveitar o que todos têm de melhor a oferecer.

Assim, podemos dizer que para que seja chamado de líder, o comunicador tem que agir de acordo com a comunicação assertiva. E não basta ajustar-se à ela, tem que possuir um pouco das qualidades básicas da liderança em sua personalidade.

Por Amanda Bueno.

Entendendo a essência das pessoas

28 maio

Um ponto importante que muitas vezes esquecemos de tratar no processo de formação de líderes é que eles lidam com pessoas, e as pessoas não são iguais; elas têm diferentes necessidades, gostos, opiniões, modo de se expressarem e não pensam somente sob princípios racionais, mas também emocionais.

Para que a liderança consiga atingir seus objetivos devemos levar em consideração que para que as pessoas ajam do modo previsto, elas têm de estar engajadas. Mas como engajar pessoas com características diferentes?

Rudolph Giuliani, político americano, disse em uma de suas palestras que o líder deve comunicar diretamente, pois “atinge a mente e o coração das pessoas, realizando comunicações emocionais. Ele é um professor e um motivador e sabe conversar com as pessoas.”

Quando o líder “fala” com as pessoas particular e diretamente as pessoas se sentem mais ouvidas e mais importantes nos processos da organização, e tendem a trabalhar em prol do objetivo estabelecido.

Por Amanda Bueno.

Natura: gestão baseada em liderança

26 maio

Em 2008 a Natura implantou um sistema de gestão baseado em 3 pilares: processos, cultura e LIDERANÇA. Coube à essa mudança, também, um Programa de Formação de Líderes, que seria iniciado em 2009.

“O foco principal da mudança foi tornar a empresa mais leve, ágil e eficiente na tomada de decisões, com menos níveis hierárquicos, mais próxima dos consumidores e do mercado. Mobilizamos e engajamos a organização como um todo para alavancar esse processo.”  (Disponivel em http://www2.natura.net/. Acesso em 20/05/2011)

A Natura acredita que a formação de lideranças ajuda a alavancar os negócios e prepara seus colaboradores para, cada vez mais, ocuparem cargos estratégicos dentro da Organização.

26 colaboradores participaram do Programa que trazia 3 módulos conceituais básicos: Cultura (Jeito Natura de Ser), Inovação, Inspira e Realiza. Além de atividades teóricas e práticas, eles também atuaram como consultores sociais de comunidades próximas, com o objetivo de aproximar a organização à elas e fortalecer a visão de sustentabilidade dos líderes.

Esperava-se que o líderes vivenciassem a Essência Natura na pratica, exercitassem a liderança como agentes de transformação social e inovassem.

Com a nova gestão, a Natura entrou para o ranking da Fortune, revista americana, na lista das 20 empresas principais em formação de líderes no mundo, em 16ª lugar.

“Não adiante a liderança ser apenas ética; ela tem que ser eficaz. Não quero um líder que seja bom em cima de pessoas fracas – o desafio é ter pessoas éticas e capacitadas, e é este profissional que quero trabalhando comigo!”, disse Guilherme Peirão Leal, Fundador e co-presidente do Conselho de Administração da Natura Cosméticos, em seminário internacional em 2005.

As organizações têm que, não apenas formar líderes, mas alinhar o seu planejamento com a cultura da organização, transparência e ética, sem perder o foco do objetivo. Com todos os pontos alinhados o sucesso da ação será mais acertivo, assim como pudemos acompanhar no caso da Natura.

Por Amanda Bueno

O que não se pode ensinar a um líder?

4 maio

Em entrevista à revista EXECUTIVO DE VALOR, de abril de 2010, Noel Tichy, “considerado uma das maiores autoridades do mundo no desenvolvimento de lideranças”, falou de um tema de suma importância na formação e no dia-a-dia de um líder: coragem e caráter.

é imprescindível que um líder possua uma lista de pessoas para cada cargo, inclusive para sua própria sucessão, assim garante-se que a organização estará sempre em boas mãos. Ele deve não só ter contatos, mas também formar novos líderes, embora haja atributos necessários que não são possíveis de serem ensinados, como os já colocados anteriormente, coragem e caráter. Tais características advém da própria personalidade e não podem ser impostos à uma pessoa.

Citadas na matéria, as empresas Google, Amazon e o grupo BestBuy são caracterizados pela origem de suas melhores ideias, vindas de líderes. Este dado nos mostra o quão importante é a formação deles nas organizações atuais.

O principal responsável pela formação dos novos líderes é o CEO (executivo-chefe), pois a ele, todos os níveis de colaboradores se reportam, dependendo do assunto. Por isso ele deve, também, compartilhar de seus conhecimentos e experiências não só com os líderes, mas com todos da organização.

Através dessa breve reflexão podemos perceber que grande parte do sucesso das organizações são consequência da boa formação, dedicação e empenho dos líderes, pois são os maiores responsáveis pelas decisões que a impulsionam.

Por Amanda Bueno.

Líderes formando líderes

28 abr

Tivemos essa semana, na Cásper Líbero, uma aula diferente na disciplina de Gestão de Comunicação Interna. Tratava-se de uma exposição sobre a empresa Cyrela, construtora e incorporadora, e seu atual trabalho na identificação e fixação de uma cultura organizacional. Apesar de já possuir uma cultura bastante sólida, a empresa cresceu e sentiu a necessidade de mapeá-la para não perdê-la.

Foram traçados 5 pilares iniciais para essa identificação, dentre eles: Cliente, Trabalho, Pessoas, Perenização e Acionista Fundador. Na vertente de pessoas, um item me chamou atenção, “Líderes formando líderes”, onde eles dão enfoque não somente para a preparação de um líder como para que esse seja multiplicador de líderes e resultados, por assim dizer.

César Souza, consultor organizacional e autor do lívro “Você é o líder da sua vida”, da Editora Sextante, diz em entrevista ao site RH.com.br sobre a importância de líderes formarem futuros líderes.

Para César, o líder não precisa viver preso a requisitos pré definidos em seu dia-a-dia, ele deve ser, além de criativo e flexível, possuir um estilo pessoal de trabalho no qual se sinta à vontade para “cativar” os funcionários e assim, conseguir seguidores e multiplicadores da cultura e ideias da organização.

Antes de tudo, o líder deve se conhecer para assim, colocar em prática suas capacidades, desenvolver dificuldades e preparar novos líderes.

Tratando de empresas que têm a liderança como ponto forte na comunicação interna, temos a Natura como exemplo.

“Pela segunda vez consecutiva, a pesquisa Top Companies for Leaders – uma iniciativa da consultoria Hewitt com a revista americana Fortune e Época NEGÓCIOS, no Brasil – aponta a Natura como a única brasileira a figurar na lista mundial das empresas que melhor produzem liderança.” diz Nelson Blecher em nota ao site Época Negócios. [fonte: http://epocanegocios.globo.com/Revista/Common/0,,EMI108932-16350,00-LIDERES+QUE+FORMAM+LIDERES.html]

Com essa postura, a empresa conseguiu agilidade e eficiência nas tomadas de decisão, e proximidade aos seus consumidores, características de suma importância para bom posicionamento e imagem positiva no mercado.

Por Amanda Bueno.