Arquivo | setembro, 2011

O futuro da organização está nas mãos de seu líder

13 set

O líder tem grandes responsabilidades sobre o futuro da organização em que está à frente. Isso se dá por ser ele quem dá as cartas do jogo, toma importantes decisões e que tem as rédeas para conduzir os negócios.

No mundo dinâmico e mutável dos dias atuais, o líder precisa olhar lá na frente e ter visão de futuro, a fim de antever o que pode vir pela frente. Só assim, ele pode se preparar, e também a todos os seus funcionários, sobre que medidas e providências tomar diante dos acontecimentos eventuais e futuros.

É preciso que o líder esteja preparado para lidar com os próximos capítulos da história ainda incerta de sua organização. Isso garante não só o sucesso da gestão, como também da própria identidade, imagem e reputação organizacionais.

Por isso, ele não deve se preocupar somente com os acontecimentos em curto prazo, mas em longo prazo também. E isso tudo mantendo o foco nos resultados e objetivos a serem alcançados.

A confiança que o público interno deposita em seu líder gera a confiança dele próprio em acreditar no futuro,  passando esse ânimo e entusiasmo a todos os demais e exigindo sempre mais e melhor de cada um deles.

Se o líder acredita na melhoria e no sucesso futuro, sua equipe também vai acreditar, pois ele defende os mais difíceis desafios a serem superados, gerando uma significativa credibilidade dentro da organização.

Porém, o futuro que o líder vê e em que acredita não deve ser qualquer um. Deve ser consistente e coerente com os propósitos, princípios e crenças da organização, e não só com base nos próprios interesses. Assim buscando não só o melhor para a organização, mas também para seus funcionários, pois eles se sentem motivados e engajados na busca de alcançar as metas nas quais acreditam.

É essa a diferença entre um líder e apenas um chefe ou festor. É a visão do futuro bem estabelecida por aquele que lidera toda uma organização, com uma visão estratégica que é fundamental para garantir o sucesso e desenvolvimento da organização.

E, por fim, é necessário que o líder já prepare e instrua alguém em quem aposte suas fichas e acredita ser um bom seguidor de seus passos para ser o seu sucessor futuramente. É importante que o líder tenha alguém treinado e orientado para sucedê-lo, quando precisar. Esse é o verdadeiro líder, que se preocupa e se planeja para o futuro, sabendo que ele está em suas mãos.

Por Ana Carolina Pampolha

Anúncios

A importância do feedback

12 set
O Feedback é uma das muitas poderosas ferramentas que um líder pode ter, para extrair o máximo de resultados para a organização. Diversos lideres desconhecem ou preferem não desenvolver em suas equipes esse método de troca de informações, capaz de melhorar a comunicação entre todos da organização. Cabe aqui salientar que não adianta ter um ótimo planejamento se não existe um canal aberto entre as partes, afim de corrigir as falhas do contato entre as pessoas em um ambiente de trabalho.

Algumas vantagens de ter um canal como esse na equipe:

  1. Após o planejamento, o líder vai verificando, de tempos em tempos, os resultados. Nesse momento, é muito importante fazer a equipe participar e corrigir os percursos, para que a meta seja atingida no final;
  2. Utilizar a ferramenta para, olho no olho, criticar e elogiar os colaboradores, criando um clima de respeito e sinceridade entre todos os componentes;
  3. Utilizar a ferramenta para receber critica e poder melhorar a sua liderança, ou discutir os pontos de vistas de cada colaborador em referência as metodologias utilizadas pelo líder na parte operacional e motivacional;
  4. Utilizar a ferramenta para motivar os colaboradores e reconhecer os comprometidos.

Para elaborar um feedback que possa obter 100% de resultados, é necessário definir uma data padrão para as reuniões individuais, preparar um documento que contenha os criticas, opiniões, elogios e assuntos abordados.

Esse documento servirá de base nas próximas reuniões de feedback para a mensuração da evolução ou regressão em cada tópico.

Quanto mais sincero for o feedback, mais confiança e credibilidade será criada na relação com o subordinado, mesmo quando o feedback é negativo, até mesmo quando houver a necessidade de demitir o colaborador, pois esse não será surpreendido, já que as orientações vem sendo dadas há algum tempo. Seria muito mais tranqüilo se, a cada período, o colaborador recebesse um feedback informando dos seus pontos fracos e no dia da demissão o líder justificasse a saída devido a esses pontos que não foram corrigidos.

Bem, fica claro como é importante existir um canal entre os colaboradores e o líder, para buscar a melhoria continua do setor.
Nesse sentido o feedback é sem dúvidas uma poderosa ferramenta para a liderança e para os funcion’arios.

Por Patricia Coelho